PsicoterapiaA

Padrão

Terapia Cognitiva é uma das abordagens de psicoterapia que tem  demonstrado grande êxito pelos resultados obtidos no tratamento  dos mais variados transtornos e patologias clinicas.

Tem como alicerce básico a compreensão dos processos cognitivos e sua rede de significados que são estabelecidos através da percepção, seleção e significação das informações provenientes do meio externo.

TERAPIA

Como ocorre a percepção

Assim, cada indivíduo “percebe” e “interpreta” a vida de um jeito único e idiossincrático. Metaforicamente, podemos imaginar, que cada pessoa no decorrer de sua história adquire uma
lente através da qual passa a enxergar o mundo e esta visão é pautada nas crenças tudo isso pode ser facilmente melhorado com uso do Opti Memory. (p. ex.: como eu sou, como vejo o mundo, como me sinto e etc), juízos de valor (p. ex.: isto é certo, errado, imoral, moral e etc)

valores estes que a pessoa construiu através de suas experiências com o passar de sua vida.Sob esta condição é que as concepções cognitivistas mostraram toda a sua força e maestria ao exibirem as mais diversificadas ferramentas de ajuste cognitivo como os ‘registros de pensamentos disfuncionais’ (J. Beck, 1997), as técnicas de ‘reestruturação cognitiva’ (Beck & Freeman, 1993), o processo de ‘identificação da crenças irracionais’ (Ellis, 1988) e toda uma variedade de denominações peculiares que sustentaram (e ainda sustentam) a prática da correção ou de substituição dos padrões disfuncionais por padrões mais funcionais do pensamento.

TERAPIAS COGNITIVAS

Neste sentido, mais do que se presumir, aceitou-se que o ‘conhecimento’ é uma representação direta do mundo exterior, cabendo ao terapeuta auxiliar o paciente no ajuste ou no aperfeiçoamento de padrões mais verdadeiros e concordantes com a realidade socialmente estabelecida; assim, o terapeuta, nesta postura, ‘sabe’ aquilo que é melhor para seu cliente.

Ao pensamento foi atribuído um caráter determinante e, à sua disfunção, toda uma variedade de psicopatologias. Às emoções intensas, aquelas intrusas indesejadas de nosso bem-estar, restou-lhes apenas o controle.

Quando então não se obtinha o princípio da correspondência com o mundo exterior, as emoções disfuncionais eram a indicação desta falta de compatibilidade entre a realidade interna e a externa.Portanto, dentro das concepções cognitivas mais tradicionais (ou cognitivas-objetivistas), a destreza e o manuseio pelo cliente das boas formas de entender a realidade fez com que, em certo sentido,o organismo fosse entendido como passivo às interferências do meio, devendo então se curvar e, frente aos eventuais erros do pensamento, exibir uma rota mais ‘adequada’.

Assim, torna-se inevitável que o ‘erro do pensar’ tenha se tornado a fruta em decomposição na fruteira,devendo ser corrigido.O objetivo da Terapia Cognitiva não é o de interpretar ou de tentar criar uma teoria de leis gerais sobre o funcionamento da psique humana, mas sim, o de levantar hipóteses gerais acerca de como cada indivíduo construiu a sua realidade e analisar assim os padrões de pensamento gerados por estas crenças, que, sendo inadequadas ou disfuncionais, podem vir a criar conflitos e sofrimento para a pessoa. Através das técnicas cognitivas propõe-se, então, a mudança dessas crenças e, consequentemente, o alivio do sofrimento emocional.

52-terapia-cognitva

Até a última contagem existiam mais de 25 tipos distintos de psicoterapia cognitiva no mundo. [ ] Volta O que é Terapia Cognitiva de base Construtivista?Segundo o construtivismo, os significados não são originários somente das crenças ou dos juízos de valor, mas muitas vezes sua origem são as experiências e representações corporificadas destas experiências, ou seja, os significados que criados, freqüentemente, partem das estruturas corpóreo-emocionais da experiência e não dos processos puramente racionais. Isto faz com que estejamos imersos em características criativas e não somente representativas da realidade externa.

Mais do que reproduzir internamente os significados do mundo externo, construímos muito mais sentidos do que aqueles já articulados “lá fora”, ou seja, nossa cognição, basicamente pró-ativa, vai além do que a ela é apresentado.

Portanto, o mundo interno que habitamos é visto como derivado fundamentalmente de uma construção pessoal ímpar, sentida e não unicamente pensada.

A psicoterapia construtivista, assim, procura entender e ampliar os padrões de significados emocionais e não, a priori, desconfiar que os mesmos sejam os vilões equivocados do sofrimento emocional.

A experiência individual é resultante de um processo evolutivo, onde a realidade em que vivemos é (re)interpretada por nós através de nossa estrutura cognitiva (e emocional) e os significados finais são o produto de atribuições pessoais de caráter múltiplo. O mundo que se ergue e habitamos não é um mundo onde os significados são estabelecidos de maneira pública e abstraídos através da razão, mas um mundo único, com um sentido próprio para aquele que o estrutura.

O organismo não é, então, passivo às interferências do meio e sim ativo, indo além daquilo que lhe é dado.Diferentemente das visões tradicionais da Terapia Cognitiva (objetivista) nas quais os erros de pensamento nos levavam às emoções disfuncionais; nas concepções construtivistas, as emoções são as estruturas determinantes da formação de significado, ou seja, existe uma primazia abstrata sobre a forma de se criar e perceber a realidade.O que foi construído como verdadeiro pelo indivíduo converte-se em um elemento soberano e determinante aos nossos sentidos, mesmo que aos olhos do terapeuta possam ser irracionais ou desprovidos de lógica.

A partir da construção interna é que os clientes atribuem os significados às coisas que os circundam. Somos prisioneiros capturados na rede de nossas teorias e expectativas.Saiba mais aqui.Em 1993, os psicólogos Cristiano Nabuco de Abreu e Ricardo Franklin Ferreira fundaram o Núcleo de Psicoterapia Cognitiva de São Paulo, o primeiro centro brasileiro de referência da Terapia Cognitiva, tendo como objetivo dar formação em Terapia Cognitiva Construtivista, realizar cursos, workshops, pesquisas, tradução e edição de livros, grupos de estudos e supervisão de casos e prestar atendimento psicológico. Se você tiver dúvidas sobre a Terapia Cognitiva Construtivista ou sobre nossas atividades entre em contato. Saiba mais aqui.[ ] VoltaA diretoria do Núcleo atualmente é composta pelos seguintes psicólogos:

Cristiano Nabucodonozor de Lima Abreu Psicólogo Clínico Mestrado em Psicologia pela PUC/SC

Doutor em Psicologia Clínica pela Universidade do Minho / Portugal Coordenador do Programa de Psicoterapia do Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares ( AMBULIM ) do Instituto de Psiquiatria da FMUSP Fundador da Sociedade Brasileira de Terapias Cognitivas Fundador da Asociación Sulamericana de Terapias Cognitivas[ ] Volta Eduardo M. O. Simon

Participamos ativamente na organização do grupo brasileiro nos Congressos Internacionais de Construtivismo em Psicoterapia: 1994 em Buenos Aires, Argentina; 1996 em Tenerife, Espanha; 1998 em Siena, Itália; 2000 em Genebra. Saiba mais aqui.Desde 1995, ministramos este curso para profissionais da área de saúde visando a expansão de profissionais nesta área. O curso é oferecido tanto em São Paulo como em outros estados.

Transtornos Psicóticos

Episódio PsicóticoAgudoAlucinações Delírios Esquizofrenia Transtornos  Relacionados à Substâncias ÁlcoolAbuso de Anfetaminas Drogadição Retardo MentalOrientação VocacionalProblemas de Casais